Arquivos

Brinque com seus filhos!

Lembrar da infância é lembrar de brincadeira. Ou deveria ser, eu acho.

brincar1.jpg

Para muitos, lembrar da infância é esquecer por um momento das turbulências da vida adulta. E acho que todas as pessoas, de todas a idades, não deveriam se privar das brincadeiras, principalmente para quem tem filho(s), pois muito mais do que momentos de lazer e distração, as brincadeiras permeiam nossa relação com o mundo de forma inocente e natural.

Elas estão ligadas ao desenvolvimento da criança e à interação com os outros, com ela mesma e com o mundo. Brincar está profundamente ligado à aprendizagem, principalmente nos primeiros anos, e é através dos brinquedos e das brincadeiras que a criança descobre o seu papel no mundo. A criança fala muito através da brincadeira. Brincar é uma questão de composição do ser humano, do indivíduo. Ela se expressa, se desenvolve, se integra através do brincar, que tem que ser prazeroso.

brincar2A brincadeira acontece para muito além do brinquedo material. Seu corpo pode (e deve) ser o motor da brincadeira. Brincando ao seu lado, e com você, a criança desenvolve muito melhor a criatividade, a autonomia, a tomada de decisão, a relação com ela mesma, a expressão corporal, dentre outros benefícios. Mas o mais importante é a interação com o papai e a mamãe, pois ela verá os pais como seus melhores amigos. E te garanto, você se divertirá muito com ela!

A interação de pais e filhos por meio do brincar é muito importante, mas os pais precisam entender que “o brincar junto não é brincar pela criança”. É preciso “entrar no mundo imaginário delas”, criar, imaginar, viajar no universo da criatividade delas, se tornar, literalmente, uma criança.

Porém, muitos pais acham que acompanhar os momentos de brincadeira dos filhos é sentar-se e observar o que eles fazem, quando na verdade essa presença sem interações não interfere em nada no momento da criança. Simplesmente observar os momentos de lazer do seu filho tem o mesmo valor de não estar presente e certamente não é isso que você deseja, não é?

Muitos pais chegam em casa cansados e estressados e só o que pensam é no seu descanso. Mas meus amigos, sinto informar que “descanso” não lhes pertence mais 🙂 ! este é um ônus da paternidade e da maternidade, e vocês papais, precisam entender isso. Seus filhos precisam brincar (com os pais) nem que seja por 15 minutos, mas que seja se entregando ao momento de alma, coração… e corpo!

Então, papai e mamãe… sempre que puderem, tirem um tempinho para brincar (brincar de verdade) com seus filhos. Sentem, deitem, rolem no chão com eles. Pulem, dancem, cantem, gritem… lambuzem-se de tinta, de lama, brinquem de tomar banho de chuva… Brinque de roda com eles, de amarelinha, de cabaninha, de esconde-esconde, pega-pega… brinquem muito!!! Esqueçam do mundo lá fora! Façam a magia da alegria acontecer em suas vidas! Transformem-se em fadas, duendes, dinossauros, robôs, bonecas, princesas… ou o que seus filhos desejarem neste momento tão especial.

brincar3

Não se preocupe com a bagunça… Bagunça se arruma depois. O momento que você viverá com seus filhos, será único, e ficará para sempre guardado na lembrança e no coração… de vocês, pais… e principalmente, DELES!

Sabe aquele dia em que nada dá certo pra você? Aquele dia que você passa o tempo todo pensando que não deveria ter levantado da cama? Dia tenso, cheio de trabalho e stress?

Seus filhos são a cura para isso! Por experiência própria. Afirmo isso com autoridade. Lorenzo se tornou meu antídoto contra qualquer mal que tente me assombrar! Quando estou ficando fraca, ele que me ajuda… brincando comigo! O melhor remédio para stress do mundo… o melhor remédio da vida… é SORRIR!

Pensem nisso.

Bjs

cropped-meuavatarassinatura.png

 

COLIKIDS: A solução para as cólicas do Lorenzo

Mamães… estou repostando essa matéria pois ela é muito importante para quem acabou de ter seu bebezinho (especialmente minha amiga Andreia Sabo, queridona e mãe do pequeno e lindo Felipe).
Compartilhem.
Bjs

Meu Relicário

Gente, ser mãe de primeira viagem, não é nada fácil! Quando se tem o primeiro filho, todo dia (e toda noite), é algo novo a descobrir (e a aprender). E junto com estas novidades, vem as dúvidas, os medos e as incertezas… e claro, o desespero (no meu caso).

E por ser inexperiente, ouvimos muitas dicas, opiniões, faz-não-faz, diz-que-me-diz… de muita, mas muuuita gente! Todos com a intenção de ajudar, claro! Mas tem horas em que nada, nada mesmo… ajuda… e muito menos resolve e você acaba quase perdendo as esperanças!

Estávamos indo muito bem na nossa missão de “pais” com o Lorenzo… Cuidar, dar carinho, amamentar, trocar fraldinhas, dar banho, fazer dormir… estava tudo uma delicia! Até aparecerem as temidas CÓLICAS e com ela… muuuuuuuuuito choro e noites em claro!!! Foi aí que o meu pesadelo começou e eu cheguei ao meu limite, precisando até tomar calmante, pois está pra…

Ver o post original 687 mais palavras

CERVEJA – PAIXÃO BRASILEIRA E MUNDIAL

Atendendo a pedidos… pois mesmo no frio ela é uma ótima companhia quando o assunto é… Churrasco!!!!

Meu Relicário

cerv1
Que a cerveja é queridinha do brasileiro ninguem discute, isto por que ela existe a muito mais tempo do que imaginamos.
As primeiras cervejas começaram a ser fabricadas a aproximadamente 8 mil anos atrás por egípcios e balilônios.
Mesmo antes da chegada dos espanhois a america do Sul, os Incas já bebiam cerveja de grão-de-milho.
Atualmente o país com maior tradição na fabricação de cerveja, é a Bélgica.

Mas ao longo dos anos esta técnica foi aprimorada cada vez mais e hoje temos uma vasta variedade de cervejas que atendem até o mais exigente paladar. Vou apresentar aqui alguns dos tipos mais degustados no mundo todo:

pale
IPA – India Pale Ale e outras Ales – Lupuladas, de amargor pronunciado e alta fermentação. Harmoniza com queijos mais gordurosos como parmesão, gorgonzola e o grana padano.

stout
Stout – Porter – Dopple Bock – Dunkel – Cervejas escuras, encorpadas e com aroma e…

Ver o post original 254 mais palavras

Dicas para ter seu próprio estilo

Vale a pena conferir…

dicas para ter seu próprio estilo4

Olá pessoal!!

Muitas pessoas não conhecem o seu próprio estilo, e por consequência saem comprando tudo o que veem pelos shoppings só porque “tá na moda”, gastando mais com coisas que às vezes nem usa.

Para a consultora de estilo Juliana Skliutas, antes de radicalizar no visual, é fundamental “conhecer nosso estilo e saber qual imagem queremos transmitir. E não se prenda a um padrão, pois cada um de nós tem um estilo predominante e outros estilos complementares”, explica a consultora.

Responda rapidamente

Suas roupas são confortáveis e soltinhas ou super agarradas? Usa sapatos de salto alto até dentro de casa ou rasteirinhas? Prefere estampas de flores ou étnicas? Suas blusas têm babados ou canutilhos? Seus acessórios são discretos ou é tudo gigante? A maquiagem logo cedo é carregada ou usa só um brilho labial? Com essas e outras respostas, a consultora afirma que é possível saber se será necessário…

Ver o post original 616 mais palavras

Musicalize seu bebê!!!

Bom dia pessoal! Como estão todos vocês?

Ando meio ausente do blog, eu sei (beeem ausente rsrs)… mas é por uma justa causa. Estou dedicando meu tempo, quase que 100%, ao meu filhote Lorenzo, que já está com 1 ano e 8 meses… é… o tempo passa não é mesmo? Parece que foi ontem que anunciei a vocês a minha gravidez.

Pois então… falando nele… quero abordar um assunto delicioso e que bebês adoram… desde antes do nascimento: MUSICA! Desde que me conheço por gente, gosto de música, e de atividades de musicalização em geral. Meu falecido tio Padre Jandir Luiz Ferrari, era multi-instrumentista, cantor e compositor, e minha tia Lussimar Helena Ferrari, até hoje toca piano e violão. E meu primo Giovanni, filho dela, toca acordeon e sabe mais o que… com apenas 18/20 anos!

Eu também tenho muita aptidão para música. Fui professora de violão para crianças por 3 anos… fiz aulas de canto e até já cantei para mais de 1200 pessoas, acompanhando o talentíssimo cantor e compositor Clodoyr Gonçalves no Festival de Etnias do Teatro Guaíra, em 2008.

Como a vocação é algo genético, não precisei ensinar o Lorenzo a gostar de música. Desde muito pequeno ele já apresentava gosto por sons, e hoje ele mesmo monta seus instrumentos musicais com o que encontra pelo chão. E junto com a mamãe, faz um estardalhaço em casa batucando e cantarolando rsrsrs!

Além de estimular sua coordenação motora e sua criatividade, estas atividades também o acalmam muito, pois ele canaliza toda a sua energia através dessa brincadeira. Por isso vou passar algumas dicas para as mamães que ainda não descobriram como aproveitar a energia inesgotável de seus bebês.

 

Vamos lá?

musica1

O envolvimento de crianças com o universo sonoro começa antes do nascimento, pois na fase intra-uterina o bebê já convive com alguns sons provocados pelo corpo da mãe, como o coração batendo, a respiração e o sangue fluindo nas veias. Após o nascimento, o bebê faz interações com diversos sons do cotidiano, como TV, automóveis, voz de pessoas, música, sons de animais; e assim desenvolve seu repertório de comunicação.

A música tem importante papel na formação da criança, uma vez que, além de adquirir sensibilidade aos sons, ela desenvolve diversas qualidades, como concentração, coordenação motora, socialização, respeito a si e ao grupo, disciplina e outras características que colaboram na formação do indivíduo.

Muitos estudos confirmam esses benefícios adquiridos com a musicalização na infância. Vale destacar Andrzes Janicki, médico polonês especializado em musicoterapia, que realizou experiências nesse campo e concluiu que a música influencia nas funções de numerosos órgãos internos, na função psíquica e na memória. Tais influências se revelam diretamente no ritmo cardíaco, pressão arterial, secreção do suco gástrico e no metabolismo. O que significa que quem tem contato com a música, por diversas formas, pode sofrer menos com stress e com o medo, problemas considerados como “doenças da modernidade”.

musica2
A musicalização é aconselhada por especialistas desde a infância, por volta dos oito meses de vida. Em todos os momentos de uma aula de música, há espaço para o exercício sensível e cognitivo. Com um trabalho de sonorização de estórias, invenção de composições, brincadeiras, jogos de improvisação, elaboração de arranjos, audições, cantorias, desenhos de partituras, construção de instrumentos, os bebês percebem e entendem os sons e o silêncio. Aprender a escutar com concentração é uma tarefa difícil, mas, com a música, bebês e crianças compreendem o momento de falar e de ouvir. Isso denota respeito e obediência.

Algumas pessoas ainda têm uma visão errônea sobre a musicalização. Para muitos pais, a música é entendida como algo pronto. Muitas escolas não ensinam música, na verdade ensaiam coreografias para a festa junina, ou para o dia das mães, ou para o Natal. Esse tipo de atividade não abrange possibilidades de desenvolver, por exemplo, a expressão vocal, corporal ou instrumental; ou, ainda, outros aspectos, como pesquisa, criação, escuta, senso crítico, gosto musical, justamente o que trará os benefícios para as crianças.

Quando os bebês ou crianças participam da aula de música e, por exemplo, têm que trocar os instrumentos, estão aprendendo a dividir. Em uma aula de improvisação sonora, lidam com situações inusitadas; ou quando tocam em conjunto, entendem que cada um tem a sua vez de participar e ser ouvido. Com a música, bebês, desde a idade de oito meses, até as crianças maiores aprendem a lidar com os enfrentamentos de uma convivência em sociedade, além de trabalhar com os sentidos da audição, visão e tato e receber estímulos para aprender a falar mais rápido, sem timidez e com maior vocabulário. O conjunto dessas características traz benefícios que vão acompanhá-los até a fase adulta.

Então você se pergunta? Como posso ensinar musicalização para meu bebê, se ninguém em casa toca nenhum instrumento musical? Não precisa, mamãe! Música se cria com a alma, com o coração e claro, com muita imaginação. Apresente á ele uma lata de leite vazia, um balde de plástico, uma tampa de panela e uma colher de pau ou de metal… e pronto! Vocês dois acabam de criar uma bateria! Um potinho vazio de leite fermentado, como o Yakult, por exemplo, mais alguns grãos de arroz dentro, bem lacrado com uma fita adesiva (não queremos causar acidentes!)… e vocês criam um incrivel chocalho!!! Um violãozinho de plástico da Casa China vai virar uma guitarra na mão do seu bebê!!! Estimule-o a tocar, a fazer barulho… barulho de verdade!!! Cante com ele, dance ao som das musicas dele, marchem pela casa batendo panelas… Tenha certeza de que seu filho irá adorar e você jamais irá esquecer estes momentos.

Deixo aqui uma sugestão de aprendizado muito bacana para iniciar seu filho no mundo da música e das artes. É um trabalho muito bonito, feito pelo Grupo Triii ( com 3 i’s 🙂 ). Esse grupo trabalha muito a musicalização e auxilia na coordenação motora, psiquica e no desenvolvimento social das crianças. Eles são um braço da dupla Palavra Cantada, que também é maravilhosa, e o Lorenzo curte desde seus primeiros dias de vida.

Clique no link a seguir, e inspire-se:

Sítio da Lili – Grupo Triii

Não precisa ser músico ou artista para trazer ao seu filho, o gosto pela música e pela arte. Basta ter a mente aberta e usar muita criatividade. E se acha que não tem criatividade, não se preocupe, seu filho terá! 🙂

Boa sorte queridas mamães. Depois me contem  aqui nos comentários, qual foi o instrumento musical que você e seu filho criaram… e quem sabe formamos uma Baby Band!

Beijos…

Sol Ferrari

lorenzotocandoviolao

Meu Lorenzo, com 1 ano e 3 meses, fazendo seu show!

 

FATO CURIOSO: FEIJÃO E ARROZ EMAGRECEM!

Será?

Se engana quem pensa que um bom prato de arroz e feijão atrapalha a dieta e faz engordar. Muito pelo contrário, a combinação é fonte de fibras e aumenta a sensação de saciedade, evitando a ingestão de doces e outros alimentos. Arroz e feijão juntos possuem uma proteína que é semelhante à proteína da carne. É uma ótima combinação e com muitos benefícios nutricionais. Por serem ricos em carboidratos, ajudam a dar energia e reduz a vontade de ficar ‘beliscando’. E as fibras presentes no feijão fazem com que ele ‘inche’ dentro da barriga, garantindo a saciedade.

Beijos.

Sol.