Arquivo | dezembro 2014

UM ANO NOVO ABENÇOADO A TODOS!

Queridos Seguidores:

Mais um capítulo lindo de nossas vidas vai se encerrar, e Deus nos presenteará com mais 365 páginas em branco de história para ser preenchida.

Meus amigos, eu desejo que o Novo Ano de todos, seja um ano pleno de luz e graças, que Deus ilumine e guie vocês sempre no caminho do bem e da retidão.

Que este novo capítulo das nossas vidas que começa a ser escrito neste Ano Novo, seja guiado pelas linhas que Deus traçou para todos nós!

Obrigado pela companhia, amizade e fidelidade durante todo o ano de 2014.

Fique sempre com Deus e espero todos comigo em 2015.

Com carinho,

Sol, Igor…

…E Lorenzo!

De 41 a 50 dias (6)

Anúncios

DESPRENDA-SE DE OPINIÕES ALHEIAS… “LIKE” VOCÊ MESMO!

 

 

like

NÃO PERCA DE VISTA QUEM VOCÊ REALMENTE É…

Não tenho facebook pessoal, não tenho whatsapp, não tenho instragram… e quando me perguntam por que não, apenas respondo “não tenho porque simplesmente não gosto.”

Não tenho necessidade de por a público tudo que faço no dia a dia, nem publicar encontros com amigos, festas, viagens… não preciso da avaliação dos outros sobre minhas opiniões pessoais, nem das curtidas e comentários em minhas fotos, não tenho necessidade de ser admirada ou criticada na internet.

Resumindo, minha vida, minha felicidade, minha tristeza… enfim… não depende das redes sociais.

Nada contra quem gosta disso tudo e não vive sem elas, mas eu prefiro me manter a moda antiga. Gravar minhas fotos em cd’s ou no meu computador, montar álbuns de fotos reveladas, ligar e ouvir a voz de alguém, receber e visitar amigos, abraçar e beijar de verdade, matar saudades, fazer contato físico com as pessoas.

Tudo bem que uma massagem no ego de vez em quando faz parte da necessidade humana, mas não sou a favor a tanta exposição em mídias sociais, para buscar elogios e olhares de reconhecimento de pessoas que muitas vezes nem me conhecem pessoalmente.

Fico triste em saber que as referências que antes vinham da família, dos amigos, hoje vêm da internet. As pessoas estão cada vez mais distantes umas das outras. Na minha opinião, o exagero de mostrar o que se faz diariamente, postar tudo que ama ou odeia, faz parte da “cultura da vaidade” criada para alienar as pessoas e fazê-las viver num mundo de faz de conta, onde todo mundo é feliz, quer o bem do próximo, cuida do planeta e se ama.

Esta “sociedade do espetáculo” faz com que esqueçamos que a conexão com o nosso eu é o que gera a autoestima, em todas as áreas da nossa vida. Essa busca obsessiva pela opinião alheia em tudo, na verdade, faz com que a pessoa evite de olhar para si próprio e aceitar que ninguém é perfeito.

Tá certo! Quanto estamos felizes, queremos mais é que o mundo todo saiba, não é mesmo? esperar que os amigos compartilhem seus sentimentos nas redes sociais não é algo negativo. Mas a partir do momento em que a sua felicidade e satisfação dependem do número de “curtidas” e comentários na sua timeline, é onde o problema começa. Significa que você está totalmente alheio a quem você realmente é, tudo por que tem interpretado a sua vida se espelhando na vida dos outros. É preciso tomar muito cuidado com a imagem que você constrói de si mesmo nas redes sociais.

Dentro do mundo virtual, é muito fácil sermos “personagens interessantes”, para os olhos alheios. Sua personalidade acaba sendo adaptada de acordo com o ambiente, a idade ou o grupo do qual se relaciona. Você esquece de quem realmente é! E ainda acha que isso é normal. Acontece que nesta “brincadeira” você pode acabar perdendo o controle de até que ponto pode ir…

Cada vez mais estamos nos voltando ao ambiente virtual. Estamos diminuindo o ambiente real e buscando refúgio ou exílio no virtual. A internet é o novo planeta, o novo local de convivência. Não é mais a escola, a família, a vizinhança… as relações estão se tornando praticamente virtuais, e isso é preocupante.

As vezes ficamos tão acostumados com o que os outros dizem sobre nós, e nos tornamos reféns da opinião alheia. Assim, jamais nos tornaremos independentes. É como se nunca conquistássemos nossa autonomia enquanto sujeitos. Você consegue criar uma vida no mundo virtual, e ser quem vc sempre sonhou em ser. Mas não adianta apenas inventar. Precisa viver a realidade, ou fazer tornar-se real o que você tanto sonha.

Bjs

Sol Ferrari

Cumplicidade no Amor

Isso eu afirmo com autoridade: A vida a dois é mais gostosa quando se alimenta de amor,carinho, sinceridade e CUMPLICIDADE.

cum

Tem uma música da Marisa Monte que diz: “Meu melhor amigo é o meu amor”… Esta frase define exatamente o que Igor e eu somos um para o outro, além de marido e mulher, amantes e agora pais… somos Melhores Amigos, em tudo! A chegada do Lorenzo fortaleceu ainda mais nosso vínculo afetivo e o nosso amor um pelo outro só cresce a cada dia.

Todos os casais (que se amam de verdade), deveriam viver isso diariamente… amar e confiar ao parceiro toda a sua vida, seus segredos, seus anseios, medos, incertezas, sonhos… ver no companheiro seu porto seguro, sua fortaleza.

Você já deve ter visto casais que se sentam para jantar e não trocam uma palavra, um olhar, comportam-se como dois estranhos, embora estejam juntos há anos. Como também já deve ter reparado em casais, há tempo juntos que se comunicam até mesmo pelo olhar. Há entre estes dois exemplos um sentimento que os diferenciam: o sentimento de cumplicidade.

A cumplicidade não vem junto com os presentes de casamento. Ela tem que ser conquistada pelo casal. É um duro trabalho de aprendizagem mútua. Pois, quando nos relacionamos com alguém, inicialmente, podemos estar tão apaixonados que nos tornamos, profundamente, egoístas. Ou seja, queremos o outro só para nós. A paixão é cega, não enxerga o outro como ele é, e sim, como podemos vê-lo através dos nossos olhos. A partir daí, seguem as cenas de ciúme doentio, as brigas, os desentendimentos e, tudo em nome da paixão!

Muitos preferem mudar de parceiro a toda hora, porque dá muito trabalho se envolver, realmente, num relacionamento. Ser capaz de um amor real significa, em primeiro lugar, amadurecer. É poder criar expectativas realistas em relação à outra pessoa e aceitar a sua responsabilidade em ser feliz ou não neste relacionamento. Abrir mão de certas coisas e lutar por outras, sem esperar que a outra pessoa seja responsável pelo que queremos ou deixamos de querer e sem criticá-la por nossas frustrações.

Quando começamos a ver o outro como verdadeiramente ele é e, ainda assim, quisermos ficar ao lado dele: estamos começando a amadurecer nosso sentimento. Avançamos ainda mais, quando passamos a conhecer melhor esta pessoa com quem nos relacionamos e percebemos suas falhas, suas angústias, sua história e nos damos conta de que somos para o outro, aquilo que ele é para nós: um ser humano.

Desta difícil compreensão do quanto somos humanos nasce a humildade e a preocupação de um com o outro. O exercício de se preocupar realmente um com o outro gera a cumplicidade. Cumplicidade é fruto de um amor real, maduro e humano!

Bjs

Sol Ferrari

 

Mensagem do Dia…

Nunca será tarde para reatar laços familiares…
Nunca será tarde para cuidar de quem se ama…
Nunca será tarde para um pai surgir do nada e abraçar seu filho…
Nunca será tarde para dois irmãos andarem de mãos dadas…
Nunca é tarde para amar e viver em perfeita harmonia entre família!

Este é o segredo da Felicidade!

laços

 

(Erik Santos)