Arquivos

Entendendo a “Língua dos Bebês”

ling

Seu bebê está chorando copiosamente sem motivo aparente, e você se apavora pensando no que fazer, no que deixou de fazer, no que não deveria ter feito… e tenta de tudo para acalmá-lo, até descobrir o que realmente o aflige naquele momento. Bem vinda ao meu mundo! Mas conforte-se em saber que isso é muito comum na maioria das familias. Tudo porque nós adultos temos uma forma de expressão muito diferente da dos bebês. Eles, ao contrário de nós, não falam, mas entendem tudo e não só querem, como precisam, se expressar de alguma forma. E ficam muito irritados quando não são compreendidos.

Estudando sobre isso, descobri que algumas mães pelo mundo estão tentando uma “nova técnica de tradução” da linguagem dos bebês, intitulada “Linguagem dos sinais”, para as crianças que ainda não falam.Lembrando que não se trata exatamente da técnica de Libras, utilizada para deficientes auditivos. É algo um pouco diferente e menos técnico, mas tem os mesmos objetivos, a comunicação.

O ensino da linguagem de sinais, aliás, não deve começar a ser ensinado antes dos seis meses, pois, acredita-se que nessa fase os bebês ainda não têm a memória tão desenvolvida a ponto de guardar os gestos e nem a coordenação motora para realizá-los com sucesso.

Para quem curtiu a ideia, como eu, a boa notícia é que esta linguagem de sinais tende a facilitar a comunicação do bebê com a família, até que ele aprenda a falar. Mas os benefícios vão além disso. A principal vantagem da linguagem de sinais é dar uma alternativa para o bebê se comunicar sem ser chorando ou se irritando ou se frustrando, pois quando o bebê não sabe falar, ele busca alternativas para ser entendido e o choro é o meio de comunicação que eles mais usam. Outros benefícios, tão importantes quanto o primeiro, são o de aproximação da mãe e do pai com o bebê, pois essa ‘conversa’ cria um laço muito mais íntimo entre a família… Já que os pais estarão prestando atenção nos seus bebês e no que eles querem dizer.

Veja quantas vantagens ela traz:

  • Redução da frustração do bebê em tentar se comunicar;
  • Maior facilidade para os pais entenderem o que o bebê quer e para se comunicarem com ele de maneira geral;
  • Aumento da autoconfiança do bebê por conseguir se expressar;
  • Enriquecimento do vínculo entre pais e filho;
  • Estímulo para que a criança aprenda a falar mais cedo e tenha maior vocabulário;
  • Melhora do desenvolvimento intelectual e emocional.

Legal né? Mas… e na prática? Como eu faço?

Flavia Calina, 33 anos, profissional de Educação Infantil, mãe e Youtuber, é uma das mães que têm difundido com sucesso o uso da linguagem de sinais através de vídeos no Youtube. Ela conta que, antes de ter sua filha, já sabia que ensinaria língua de sinais para ela. “Trabalhei alguns anos como professora de bebês e aprendi muito sobre os benefícios e vivenciei na prática com os bebês para quem dei aula”, diz. O objetivo da língua de sinais é diminuir a frustração do bebê em se comunicar, mas também ensinar uma língua a mais para as crianças, para que elas possam se comunicar com outras. “Isso é um adicional muito grande”, observa Flávia.

Para começar a ensinar, os pais devem seguir “passinhos de bebê”: começar com um sinal por vez. “Eu uso o sinal da palavra mais usada com os bebês, que é ‘mamar’. Assim que o bebê aprende o primeiro sinal, você já pode introduzir mais um e assim por diante. Em poucos meses seu bebê vai estar fazendo mais de 15 sinais”, explica Flavia.

“Basta pensar que quando ensinamos um bebê a dar ‘tchau’ com a mãozinha, ele já está fazendo um sinal. Então, adicionamos a esse repertório a fala da palavra em questão e os pais fazendo o sinal junto”, destaca Flavia.

Mas, vale ressaltar, o uso da linguagem de sinais deve ser feito de forma tranquila, respeitando o tempo da criança. A ideia é que os pais digam a palavra ao mesmo tempo em que fazem o sinal sempre que possível, em diferentes circunstâncias, assim o bebê aprenderá com o som, com o sinal e a representação do que disseram. O processo deve ser o mais divertido possível, para ser uma experiência totalmente agradável para o bebê.

Embora, instintivamente, praticamos esses gestos no dia a dia, muita coisa mais podemos fazer para ajudar nossos pequenos a se comunicarem com o mundo e a desenvolverem a fala, propriamente dita, usando essa técnica.

Deixo abaixo o link do Youtube, com o canal da Flavia Calina. Lá tem o vídeo ensinando tudo, e muito mais assuntos interessantes, para papais que adoram entender o mundo de seus filhos, como eu e o Igor.

Linguagem de Sinais para bebês

Bjs

meuavatarassinatura

 

 

 

Anúncios

LANCHINHO FÁCIL PARA SÁBADO A NOITE

Olha só…

Sabe aquele sábado que você pensa: Vou ficar em casa. Dormir, descansar, arrumar meu guarda roupa, tirar a sobrancelha, depilar as pernas, etc, etc, etc… delicia né? Um dia só pra vc! 

 Só que, quando este dia acaba… você está exausta e faminta, certo? Seus amigos estão saindo, mas você não quer sair de casa. Seus amigos vão pra uma pizzaria, uma hamburgueria… sei lá… mas ainda sim, você quer ficar sozinha no sossego da sua casa. E ao mesmo tempo, está morrendo de vontade de comer gordices como seus amigos. 

 Pensa assim: “eles não me fazem inveja”. E prepare um lanchinho especial só pra vc, afinal, vc merece.Te deixo uma dica gostosa e fácil de fazer.

Pizza de Pão de Forma:

pizza

Pão de forma 

Mussarela 

Molho de tomate

Ketchup

Alho, Cebola, Pimentão, Azeitona (e que mais tiver na geladeira 🙂 )

Azeite extra virgem

Orégano

Modo de Preparo:

Acenda o forno a uma temperatura alta para pré-aquecer.

Pincele um tabuleiro com azeite, sem exagerar na quantidade. Se não tiver um pincel culinário, lambuze a forma como achar melhor, pode ser com papel toalha mesmo.

Organize os pães no tabuleiro e leve ao forno pré-aquecido por uns 3 ou 4 minutos. Retire do forno para fazer a montagem. Vire os pães antes de começar, ele vai ficar com o lado dourado para cima. A montagem fica a seu critério. E os ingredientes também. Você pode fazer do sabor que quiser.

Bom, depois que colocar sobre os pães o que desejar, volte com o tabuleiro para o forno.

Asse por 8 a 10 minutos ou até dourar. Não deixe por muito tempo senão o fundo do pão vai queimar e o queijo vai ressecar.

Se quiser, salpique orégano e acrescente um fio de azeite.

Depois é só se deliciar com um belo copo de Coca-cola bem gelada (combina muito bem!)

Bjs

meuavatarassinatura

COMPOSTAGEM DOMÉSTICA… O que é isso?!?

composteira

“É essencial que cada um faça sua parte”

Geralmente, é com essa frase que terminam todos os textos, artigos, vídeos ou campanhas que vemos por aí sobre a prevenção e combate ao processo de degradação ambiental em que nos encontramos. A partir daí, a indagação “mas como posso colocar a sustentabilidade em prática?” é mais do que comum. A separação do lixo para a reciclagem e a economia de energia em medidas simples no dia a dia são exemplos de soluções descomplicadas que refletem que é possível contribuir para o meio ambiente dentro de casa.

A compostagem doméstica ou compostagem caseira é um processo que transforma resíduos orgânicos em adubo de qualidade para hortas e qualquer tipo de cultivo. O processo doméstico de compostagem é uma alternativa viável para o reaproveitamento de resíduos em pequena escala. Como o próprio nome diz, o sistema pode ser realizado nos quintais de casa – com a técnica, estima-se que uma família pode reduzir em mais de 70% o resíduo gerado em seu dia a dia. Imagine o que você poderia reaproveitar com isso: restos de alimentos como cascas de frutas, verduras, cascas e talos, alimentos cozidos ou assados desde que em pequenas quantidades, borra de café, podas de grama e folhas, serragem não tratada, folhas secas…Mas atenção: nunca jogue restos de comida, molhos, carnes, derivados de leite, etc. Estes alimentos apodrecem e “envenenam” a terra que deixará de ser fértil e rica em nutrientes, ok?

Hoje em dia existem até as caixas que são próprias para este fim, mas como são caras e você não quer gastar, né??? a solução é simples. Compre 5kg de terra adubada, despeje num vaso fundo ou numa caixa de plástico com tampa. Jogue ali algumas minhoquinhas queridas… sim, elas produzem o húmus, que é o néctar da terra. Deixe as minhocas viverem ali sozinhas por uns 3 dias, sempre molhando a terra para permanecer úmida. Depois disso, com muito cuidado, revire esta terra (sem machucar as minhoquinhas hein… não acredite na lenda de que, quando cortada, a minhoca se regenera dando origem a duas minhocas – dependendo do lugar do corte, a minhoca pode até morrer). E ao contrário do que muitos pensam, as minhocas não são animais sujos e nem transmitem doenças, e podem ser utilizadas no seu lar sem nenhum problema. Criar minhocas pode ser como criar um animal de estimação qualquer, sendo que ainda lhe oferecem uma contribuição valiosa no apoio à decomposição de seus resíduos.

Sempre que você cozinhar, reserve as cascas dos legumes, das frutas, ou seja, de tudo que for vegetal (até cascas de cebola e alho), que são chamados de Lixo Orgânico, e despeje neste vaso (que deverá sempre estar bem tampado), junto com as minhocas. Misture com a terra delicadamente, tampe novamente e deixe que as minhocas façam o trabalho de fertilizar esta terra.

Esta fração do lixo que é orgânica é tratada naturalmente pela terra e pelas minhocas, e se transforma em uma biomassa altamente nutritiva, que pode ser aplicada em jardins e hortas, como adubo. Sempre que você for transplantar uma flor ou uma planta para um vaso maior, pode misturar este composto à terra do vaso. Ou ainda se você cultiva verduras e legumes, pode eventualmente jogar um pouco desta terra para adubar o solo e suas plantas crescerão ainda mais saudáveis.

Isso se chama Compostagem Doméstica. É apenas a arte de reciclar lixo orgânico a nosso favor.

Nós temos a nossa aqui em casa! E você?

Um beijo.

meuavatarassinatura